Não recebi todas as verbas trabalhistas corretamente e descobri que a empresa não depositava o FGTS.
O que devo fazer?
SAIBA MAIS
Trabalhava para uma empresa que fechou e prestava serviços para outra.
Vou ficar sem receber?
SAIBA MAIS
Sempre fui tratado com indiferença no ambiente de trabalho e humilhado por meus superiores.
Posso cobrar dano moral?
SAIBA MAIS

Áreas de Atuação

Direito do Trabalho

Abordamos os assuntos que envolvam empresa, empregado e empregador. Visando alcançar sempre o melhor resultado.

Direito Cível

Atuamos englobando todo o conjunto de normas previstas pelo Código Civil. Priorizando o direito das pessoas e seus bens.

Direito do Consumidor

Cuidamos dos Direitos das Pessoas perante ao consumo de serviços prestados por pequenas, médias e grandes empresas.

01. Visão

Ser reconhecido pelos atuais e futuros clientes como a primeira opção no momento de escolha por serviços advocatícios e de consultoria jurídica.

02. MIssão

Atender todos os clientes de forma personalizada e única buscando sua satisfação por meio da dedicação diária.

03. Valores

Ética, Transparência, Respeito, Proatividade, Simplicidade.

Dúvidas Frequentes

Independentemente do motivo pelo qual parou de trabalhar na empresa, é direito de todo empregado receber corretamente as verbas trabalhistas devidas e, principalmente, ter seu FGTS calculado e depositado de acordo com o real salário que recebia. Caso isso não ocorra, a melhor alternativa é cobrar por meio de uma ação trabalhista.

Nesse caso o melhor a se fazer é analisar algumas situações específicas para descobrir se é possível responsabilizar a outra empresa pelo pagamento. 

Sim. Toda hora extra efetivamente trabalhada deve ser paga ou compensada. O fato de não anotar corretamente o cartão ponto a mando da empresa, em nada altera o direito do empregado. 

Sim. Toda situação que tenha sido gerada no ambiente de trabalho e causado danos ao empregado, ainda que moral e quando possível sua comprovação, deve ser objeto de uma ação trabalhista.

Em regra, sim. Todavia, é necessário analisar todas as atividades desempenhadas e se estava realmente exposto a agentes insalubres. Em se tratando de adicional de insalubridade para servidores públicos, é muito comum o cálculo errado da verba, o que daria direito ao servidor/empregado em receber as diferenças devidas. 

Sim. Com a reforma trabalhista houve a facilitação de métodos extrajudiciais de resolução de conflito, como é o caso da arbitragem. Entretanto, a utilização do procedimento arbitral dependerá do valor recebido a título de salário e aceitação da empresa. 

Divergências com Setor Trabalhista?

Notícias Recentes